Convenção de Bruxas 2018 [Resenha]

A Convenção de Bruxas e Magos em Paranapiacaba de 2018 aconteceu nos dias 25, 26 e 27 de maio.

Infelizmente, a greve dos caminhoneiros, e consequentemente a crise do combustível, dificultou a chegada das pessoas na Convenção e impossibilitou que muitos conseguissem ir.

Mesmo diante dessas dificuldades, os integrantes do Clã Floresta de Manannán conseguiram estar presentes e participar dos 3 dias de evento.

Na sexta à noite, primeiro dia da Convenção, aconteceu a tradicional procissão de abertura. À luz de velas, os participantes percorreram as ruas da vila de Paranapiacaba, pedindo bênçãos e proteção para o evento que se iniciava.

A manhã do sábado começou fria e luminosa, aos poucos as pessoas chegavam à vila e davam início às atividades nos diversos espaços.

Após o almoço os integrantes do clã se organizaram para as duas atividades que ofereceriam naquele dia.

Às 15h20, na sala 1 do Teatro Lira Serrano, Marcos Reis ministrou a palestra: “Xamanismo Celta – Vate/Curandeiro: interpretando os sinais da natureza”, na qual falou sobre como utilizar a própria natureza ao nosso redor de forma oracular. Além da explicação teórica, a atividade contou com uma vivência para que os participantes pudessem ter contato com esses símbolos e assim interpretá-los.

Simultaneamente, às 16h00, na sala de Druidismo, Carol Bispo, ao lado dos integrantes e amigos do clã, conduziu a atividade “A barca de Manannán”. Ao som dos tambores sagrados e com as bênçãos de Manannán, os participantes vivenciaram uma intensa jornada às ilhas do Outro Mundo.

No domingo a Convenção continuou com diferentes atividades por toda a vila, que esse ano ofereceu novos espaços totalmente restaurados.

Entre palestras, vivências, shows, feira e apresentações diversas, a Convenção foi se encaminhando para o fim de mais uma edição.

Às 15h00, Marcos Reis foi um dos condutores da Roda de Tambores que aconteceu em frente à Casa do Xamã. Aos som dos tambores e cantos em muitas vozes, os participantes, novos e antigos, celebraram a vida, em uma celebração vívida e energizante.

O domingo e a 15ª Convenção chegavam ao fim e muitas pessoas já deixavam a vila, se preparando para voltar ao ritmo frenético do mundo “lá fora”.

A reunião dos participantes no Locobreak e os agradecimentos da organizadora e idealizadora Tânia Gori encerraram o evento.

Era hora de se despedir e voltar para casa com a certeza de que valeu à pena enfrentar os desafios postos e estar presente, mais uma vez, nesses dias mágicos.